Seja você a mudança que quer ver no mundo  
 
   



BRASIL, Sudeste, Mulher, de 20 a 25 anos, Arte e cultura, Viagens, Natureza, animais, esportes radicais
border=0
 
   Arquivos

 
border=0
Outros sites

 Gato Negro
 Povos da Floresta
 Fórum Social 2009
 Animal Liberation Front
 Mídia Independente
 APASFA
 Memória e Movimentos Sociais
 Blog da árvore
 Marco
 Diário JB
 Poeme-se
 Trem a pé
 Landinho
 Aldeia Sustentável
 Ecosofando
 Adotar é tudo de bom
 O Eco
 Gestão Ambiental


Votação
Dê uma nota para meu blog



border=0
 


MUDEI DE ENDEREÇO

ACESSEM MEU NOVO BLOG:

HTTP://ANATUREZAESTAEMNOS.BLOGSPOT.COM



Escrito por Fabiana Mendes às 19:12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Eu Vou!!!!

Evento

O aquecimento global chegou a um ponto crítico. Se medidas não forem tomadas, o aumento das temperaturas será o gatilho para eventos climáticos extremos, como a elevação do nível da água dos oceanos, ameaçando cidades costeiras e o bem-estar de suas populações, e a extinção de milhares de espécies vegetais e animais ao redor do mundo. Temos cerca de 10 anos para agir antes que as forças naturais escapem ainda mais da capacidade humana de controlar as conseqüências do aquecimento.

A State of the World Forum e um número crescente de grupos e entidades estão se unindo para desenvolver um plano de dez anos para tentar reverter o quadro. Com a 2020 Leadership Campaign, terá início com o encontro em Belo Horizonte, entre os dias 4 e 7 de agosto, a retórica começa a se tornar ação.

A meta é conseguir antecipar todas as metas propostas por governo de todo mundo de 2050 para 2020. Para propor as estratégias, especialistas de várias especialidades e áreas de atuação de todo mundo se reunirão na cidade brasileira.

Acessem: http://brasil2020.com.br/portugues/



Escrito por Fabiana Mendes às 10:27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Árvores...

“Plante árvores. Elas nos dão dois dos mais cruciais elementos
para nossa sobrevivência: oxigênio e livros.”
A. Whitney Brown



Escrito por Fabiana Mendes às 13:11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Tirinhas da Mafalda.

Já conhecia Mafalda, mas me apaixonei quando começei meu curso de Gestão Ambiental, através de provas de Química Ambiental da Professora Magda.. Que sentirei Saudades!!!

Um pouco de Mafalda

A Mafalda não é somente um personagenm de quadrinhos; é um personagem dos anos setenta na sociedade argentina.
Se, ao defini-la, usou-se o adjetivo “contestatária”, não foi por uma questão de uniformização em relação
à moda do anticonformismo a qualquer preço: a Mafalda é realmente uma heroína iracunda que rejeita o mundo assim como ele é.

A Mafalda tem 7 anos e vive em Buenos Aires. Ela odeia sopa e o racismo e se preocupa com a política.

 

Acredito que se parece um pouco comigo hehehehehe.



Escrito por Fabiana Mendes às 11:22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Paz e Guerra

UMA IMAGEM QUE DIZ TUDO POR SI...



Escrito por Fabiana Mendes às 16:16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]







CADA UM DE NÓS PODE FAZER MUITO PELO MEIO AMBIENTE

A consciência ambiental e a conservação da natureza devem ser exercitadas não só pela sociedade, mas por cada um de nós em nosso cotidiano.

Ao fazer nossa parte em casa, no trabalho e mobilizando as pessoas que nos são próximas, estamos reduzindo nossa Pegada Ecológica e colaborando para um planeta mais saudável.

Clique abaixo, leia e repasse para amigos e familiares dicas simples de conservação.
Ajude-nos neste esforço e contribua para salvar a natureza no Brasil e no mundo.

http://www.wwf.org.br/participe/acao/dicas/index.cfm

http://www.pegadaecologica.org.br/

 



Escrito por Fabiana Mendes às 10:56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






MMA investe em Parques Nacionais

O Ministério do Meio Ambiente investe em Parques Nacionais para melhorar fiscalização e turismo e junto ao Instituto Chico Mendes de Biodiversidade iniciaram entrega de veículos destinados a 47 unidades de conservação e Centros de Pesquisa em todo o Brasil.
O Parque Nacional das Emas, no sudeste de Goiás, é a primeira UC a receber uma das viaturas, que serão usadas prioritariamente na fiscalização e manejo de seus 132 mil hectares.

A aquisição visa, aparelhar as UCs para incrementar o turismo ecológico no País. O ministro Carlos Minc destacou que os parques nacionais brasileiros recebem 10% do total de visitantes dos parques norte-americanos. "É preciso difundir a idéia do bom uso das unidades de conservação, com pesquisas científicas, ecoturismo e lazer sustentável".
Para Minc, o Brasil tem potencial para ampliar o número de visitantes nas unidades de conservação, alem disso, uma das metas do MMA é reforçar o combate aos crimes ambientais e ao uso irregular das áreas de proteção sob a administração do Instituto Chico Mendes. O IMBio é responsável por 300 UCs, que representam um total de 80 milhões de hectares. Os veículos serão instrumentos de trabalho nas unidades de conservação para proteção das florestas e animais, impedindo que a área se transforme em parque da soja e do bois piratas.
Além das UCs, os veículos também serão encaminhados a 11 Coordenações Regionais do ICMBio, ao Centro Nacional de Pesquisas para a Conservação dos Predadores Naturais, ao Centro Nacional de Orquídeas, Plantas Ornamentais, Medicinais e Aromáticas e o Centro de Pesquisa de Répteis e Anfíbios.

UCs contempladas - Parques Nacionais: Amazônia, Anavilhanas, Aparados da Serra, Araucárias, Campos Gerais, Chapada Diamantina, Chapada dos Guimarães, Chapada dos Veadeiros, do Descobrimento, das Emas, Grande Sertão Veredas, Itatiaia, Jaú, Jericoacoara, Marinho de Abrolhos, Marinho Fernando de Noronha, Pantanal Mato-grossense e Restinga de Jurubatiba, Sempre Vivas, Serra da Canastra, Serra da Capivara, Serra das Confusões, Serra do Cipó, Serra do Divisor, Serra Geral, Serra de Itabaiana, Sete Cidades, Ubajara;
as Reservas Biológicas: Atol das Rocas, das Araucárias e das Perobas; as Reservas Extrativistas Açaú Goiana, Baía do Iguape, Lagoa do Jequiá, Rio Cajari, Bacia Iguape, Batoque, Caetê Taperaçu, Chapada Limpa, Chico Mendes, Chocoaré, Mãe Grande de Curuça, São João da Ponta, Ciriaco, Extremo Norte do Tocantins, Mata Grande, Delta do Parnaíba, Lago do Cedro, Lago do Cuniã, Quilombo do Flexal, Encanto das Araras e Terra Ronca, Rio Ouro Preto e Tracuateua; os Refúgios de Vida Silvestre de Una e dos Campos de Palmas; a Floresta Nacional Santa Rosa do Purus e as Estações Ecológicas Aracuri Esmeralda, Castanhão e Raso da Catarina.
fonte: Informma
Parque Nacional das Sempre-Vivas/ MG


Escrito por Fabiana Mendes às 18:42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Mensagem

Minha terra não tem palmeiras...

E em vez de um mero sabiá,

Cantam aves invisíveis
Nas palmeiras que não há.


Mário Quintana
Segundo Harry Lorenzii, no artigo Minha terra tem Palmeiras, das 11 espécies de palmeiras brasileiras mais ameaçadas de extinção, esta é uma delas: "Restam apenas quatro pequenas populações naturais, sendo duas no Paraná, uma em Santa Catarina e outra no Rio Grande do Sul. Alguns exemplares cultivados podem ser encontrados na Europa e Estados Unidos, por conta de sua tolerância ao frio invernal."

Mário Quintana, também faz paródia a Canção do exílio, de Gonçalves Dias, mas na forma de protesto ecológico, canção da ausência de conciencia ecológica que leva plantas e animais a extinção. Canção... e alerta da extinção?


Escrito por Fabiana Mendes às 12:34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Chico Mendes - Sua luta com a causa ambiental

 

Em 22 de dezembro de 1988, um tiro de espingarda tirou a vida daquele que foi o pioneiro da luta pela causa ambiental. Chico Mendes foi assassinado por defender os direitos dos povos da floresta e o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Os conflitos que resultaram em sua morte surgiram com a migração de fazendeiros do sul para o norte do país, com a finalidade de concretizarem o equivocado Projeto de Colonização da Amazônia, concebido pelo Estado a partir da década de 1970. Isso tiraria o sustento daqueles que tradicionalmente sobreviviam com os recursos naturais, além de contribuir para a degradação da floresta e a indigência dos povos que ali habitam. Como instrumento de resistência, o movimento liderado por Chico Mendes ficou famoso por seus empates: seringueiros, ribeirinhos e indígenas promoviam, de mãos dadas, um grande abraço à área a ser derrubada, empatando a destruição.

Essa luta ganhou proporções internacionais e grande exposição na mídia estrangeira, levando Chico Mendes a receber o prêmio Global 500, da Organização das Nações Unidas, em 1987. Chico introduziu na agenda política a questão da preservação da Amazônia e plantou as bases para a constituição da Aliança dos Povos da Floresta, que uniu extrativistas e indígenas (grupos que até então viviam em conflito) num interesse comum de resistência em favor da utilização sustentável dos recursos naturais.

Chico Mendes conseguiu enxergar à frente de seu tempo questões que hoje, 20 anos depois, permanecem atuais, e quase todas as suas idéias puderam ser ratificadas pela história dos anos subseqüentes. Apenas uma foi falseada: ele acreditava que sua morte provocaria o silêncio das vozes da floresta. Ao contrário, o que se vê hoje é que, como fruto de sua luta, essas vozes ecoam cada vez mais alto e mais longe, atestando que Chico Mendes vive.



Escrito por Fabiana Mendes às 16:37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Setor Frigorífico na Amazônia

A indústria de frigoríficos está reagindo às acusações de que carne produzida em áreas desmatadas recentemente na Amazônia é comercializada no mercado interno e externo por grandes empresas dos setor.

O grupo JBS-Friboi, maior produtor e exportador mundial de carne bovina, assinou na terça-feira (23), um pacto com a Wal-Mart, maior rede de varejo mundial, para que as empresas trabalhem juntas para garantir que “a carne bovina não seja advinda de propriedades que possuam alguma irregularidade particularmente em relação à lista do Ibama ou de pecuaristas que pratiquem de algum modo trabalho infantil ou análogo ao trabalho escravo” no bioma amazônico, conforme nota do frigorífico.

“O pacto também inclui um comprometimento para rastrear, identificar e controlar o rebanho dos fornecedores localizados no bioma de forma que o desmatamento ilegal e a produção de madeira não sejam associados com a criação de gado na região”, afirmou a JBS. 

Marfrig


Um dia antes, a Marfrig Alimentos, outro peso-pesado no mercado mundial de carne bovina, comunicou ao governo de Mato Grosso que se compromete a não adquirir, abater ou comercializar gado originário de áreas do bioma amazônico que tenham sido desmatadas a partir desta semana.

Ficou acordado entre a empresa e o estado que a moratória terá validade até a implantação do programa MT Legal, que prevê a regularização ambiental das 140 mil propriedades rurais de Mato Grosso.

“A Marfrig excluirá de sua lista de fornecedores a totalidade das fazendas pertencentes a proprietários que tiverem uma única fazenda embargada e até que sua situação se encontre regular”, afirmou a companhia, em nota.

Abiec

 

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Roberto Giannetti da Fonseca, afirmou em audiência no Senado, também na terça-feira (23), segundo informações da Agência Brasil, que o setor que representa adotará um código de conduta para evitar o abate e o processamento de gado criado em áreas de desmatamento da Amazônia.

De acordo com Giannetti, o código de conduta é uma maneira de adequar o setor ao termo de ajuste de conduta proposto pelo Ministério Público Federal no Pará e pelo Ministério do Meio Ambiente, que proíbe a comercialização de carne de animais provenientes de áreas desmatadas.

Ainda segundo informações da Agência Brasil, o presidente da Abiec disse que atualmente é impossível controlar toda a cadeia produtiva da carne e identificar animais oriundos de áreas embargadas. Ele ressaltou que 30% do gado abatido no país é clandestino.

Segundo Giannetti, o setor não tem condições de assinar o termo de ajuste de conduta nete momento e, por isso, optou pelo código. O presidente da Abiec ainda criticou o governo e o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que “teria falado muito e feito pouco pelo setor”.

 

Ação do MP


A compra de gado por grandes frigoríficos de áreas da Amazônia desmatadas recentemente é alvo de ação do Ministério Público Federal no Pará. O MP rastreou que carne com essa origem é vendida nos supermercados e exportada. A organização ambientalista Greenpeace fez levantamento que aponta que também em Mato Grosso ocorre este tipo de transação.

Em reação a estas investigações, pelo menos 35 empresas já confirmaram ao MP que deixarão de comprar gado ou derivados que tenham como origem os pastos recém-desmatados no Pará. Elas foram alertadas pelos promotores paraenses e concordaram em cortar fornecedores que não tenham como comprovar a origem de seus produtos.

A lista das empresas que confirmaram o boicote foi publicada pelo MPF nesta sexta-feira (19). Entre elas estão Vicunha Têxtil, Vulcabrás, Ypê e Sadia. Na semana anterior, as redes de supermercados Carrefour, Wal-Mart e Pão de Açúcar já haviam anunciado corte na compra de produtos advindos de desmatamento.


 



Escrito por Fabiana Mendes às 11:35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Dica de Programa: Um pé de quê? Canal Futura

Uma dica de programa instrutivo que demonstra o uso e a importância de se preservar todas as espécies de árvores existentes e relata um pouco da história que existem entre elas (árvores) e o Brasil.


Um Pé de Quê? é um programa de televisão brasileiro, transmitido pelo Canal Futura. Sob o comando de Regina Casé, ele procura mostrar a cada episódio uma espécie que forma a diversidade de nossa flora. A abordagem parte de aspectos botânicos, como origens, características físicas, épocas de floração e vai buscar passagens em que elas pontuaram a história do Brasil.

Regina aparece em praças, parques, matas e florestas dos quatro cantos do país, revelando a natureza de forma curiosa. Um Pé de Quê vai ao ar no Canal Futura todos os dias.

Acessem: http://www.futura.org.br



Escrito por Fabiana Mendes às 16:19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Tráfico de animais silvestres

Desde o seu descobrimento, o Brasil despertou a cobiça mundial sobre a sua fauna e flora. Sua rica e preciosa biodiversidade sempre esteve na mira daqueles que aqui aportaram. Até hoje o país é representado pelo panteão que exalta o verde de suas matas e pelo hino que informa que "nossos bosques tem mais vida e nossos campos tem mais flores". A cada ano porém, os dados apontam um destino menos romântico para os nossos símbolos patrióticos. As matas já não são tantas, e o verde está cada vez mais silencioso.

 

O processo de desenvolvimento cultural da população brasileira foi singular, possibilitando o encontro de povos conquistadores e povos que mantiam um relação íntima com a natureza e o meio ambiente. Hoje percebem-se traços dessa miscigenação ao observarmos nos grandes centros, ou nos rincões do nosso território, a presença de vários animais silvestres convivendo com o ser humano, numa relação de domínio e admiração.

Aquele olhar estrangeiro de cobiça se perpetua até hoje, todavia ele carrega mais do que simples curiosidade, ele traduz a certeza de que possuímos a maior reserva de biodiversidade do planeta, e que nela estão contidos muitas respostas que ainda não chegaram ao conhecimento humano.

 

Segundo dados do PNUMA - Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente ( Perfil do Pnuma-1992 ), cerca de cem espécies desaparecem todos os dias da face do planeta, e o comércio ilegal de animais silvestres surge como uma das principais causas dessa tragédia.

Em menos de 500 anos o Brasil já perdeu cerca de 94% ( Veja, Ed. Esp. Amazônia-1997 ) da sua cobertura original de Mata Atlântica, um dos principais ecossistemas do país. 

 

São cada vez mais constantes as incursões nas matas tropicais em busca de animais para fomentar o tráfico nacional e internacional, e manter animais silvestres em cativeiro continua sendo um hábito cultural da população brasileira. Sejam os abastados, que exibem seus animais como troféus à sua vaidade; sejam os miseráveis, que se embrenham na mata em busca de animais que, vendidos, ajudarão a diminuir sua fome, ou sejam ainda os cientistas estrangeiros que buscam na fauna e na flora brasileira uma possibilidade de seus laboratórios faturarem alto com a fabricação de novos medicamentos, o fato é que: ALGO PRECISA SER FEITO IMEDIATAMENTE PARA CONTER O TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES BRASILEIROS.

 

 



Escrito por Fabiana Mendes às 17:52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Cerrado 2º maior bioma do Brasil ameaçado.

O Cerrado é o segundo maior ecossistema brasileiro, localizado em uma grande área do Brasil Central. Por fazer fronteira com importantes ecossistemas, a fauna e flora do Cerrado são muito ricas. Espécies ameaçadas como a onça-pintada, o tatu-canastra e o lobo-guará, ainda têm populações significativas no Cerrado, ressaltando sua importância como ambiente natural.

Na região existem mais de 10.000 espécies vegetais, uma grande variedade de vertebrados e um elevado número de invertebrados. Os recursos hídricos da região ressaltam em quantidade e qualidade: nas suas chapadas estão as nascentes dos principais rios das bacias Amazônica, da Prata e do São Francisco.

Apesar de tudo, o Cerrado é um dos ambientes mais ameaçados do mundo. Dos mais de 2 milhões de hectares de vegetação nativa restam apenas 20% e a expansão da atividade agropecuária pressiona cada vez mais as áreas remanescentes.

Estudos realizados indicam que o bioma corre o risco de desaparecer até 2030. Dos 204 milhões de hectares originais, 57% já foram completamente destruídos e a metade das áreas remanescentes estão bastante alteradas, podendo não mais servir aos propósitos de conservação da biodiversidade.

O desmatamento do Cerrado é alarmante, chegando a 1,5% ou três milhões de hectares/ano. Isso equivale a 2,6 campos de futebol/minuto. Esforços de todos os setores da sociedade são necessários para reverter esse quadro.



Escrito por Fabi às 14:09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Dia da Terra é hoje!

O Dia da Terra é comemorado por milhares de organizações, em centenas de países, com o objetivo de conscientizar as comunidades sobre a importância da preservação do Planeta Terra. A data foi criada nos Estados Unidos em 1970, com o primeiro protesto contra a poluição, convocado pelo Senador norte-americano Gaylord Nelson, e passou a ser comemorada por outros países nos anos 90.

Esperamos que, no mundo todo, se organizem atividades como limpeza de praias, palestras sobre aquecimento global, campanhas de reciclagem, concursos, workshops, shows e outros eventos culturais que realmente estejam voltados para essa questão tão séria que estamos vivenciando: o que podemos fazer em relação a questões ambientais que o Planeta enfrenta?

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?...



Escrito por Fabi às 10:26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Carroças não mais....

Já era hora de, em pleno século 21, depois de o homem já ter pisado em solo lunar, as carroças deixarem de vez o cenário urbano. Campinas saiu na frente. Um projeto de lei elaborado pelo ex-vereador e agora deputado estadual Feliciano Nahimy Filho (PV) proíbe a circulação desse tipo de transporte na cidade. A proibição entra em vigor em três meses.

O motivo é evitar os maus-tratos aos animais, muito mais comuns do que se imagina. E a argumentação para uma medida do tipo pode ser contemplada até na inviabilidade econômica das carroças.

Convenhamos: manter um animal de grande porte para utilizá-lo em carretos no meio urbano, onde cada metro quadrado é cada vez mais disputado, chega a ser mais caro que ter uma Kombi velha. A menos que o animal seja mantido em cubículo, sem alimentação adequada e com horas excessivas de trabalho, o que é crime e deve ser combatido pela sociedade.

Animais são vidas dignas de respeito e mesmo os que parecem ser fortalezas sobre patas sentem dor e medo. Olhemos à nossa volta e percebamos o quanto se empilha peso em carroças a que os pobres bichos são amarrados, o quanto se açoitam esses seres indefesos. O ser humano não precisa sobreviver disso.

Quem tiver coragem, acesse o link abaixo para conhecer um pouco sobre a vida e a morte dos animais de tração:
http://www2.uol.com.br/focinhos/especiais/04_04_12_animais_charrete.shtml

Me sensibilizo toda a vez que vejo um carroceiro nas ruas de Belo Horizonte, já vi coisas horrorosas feitas com esses animais e acho que temos pleno direito de lutar por aqueles que não tem voz perante a sociedade.

Não deixe que animais como esses sofram á mingua nas ruas, denuncie, maus-tratos é crime!



Escrito por Fabi às 10:38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
border=0